segunda-feira, 21 de maio de 2012

Como realizar sua perícia em Belo Horizonte.

COMO REALIZAR SUA PERÍCIA DO CMA.

(passo a passo)

Leia com atenção.
- Antes de iniciar o processo, caso não tenha, obtenha no site da ANAC o seu código ANAC válido: https://sistemas.anac.gov.br/habilitacao/AgendamentoServicoPublico.do, no link “solicitar Código ANAC”. Depois providencie as avaliações e exames conforme relação no final da página.

- Telefones para agendamento: (31) 3484-2545 e (31) 3491-7600.
                                                                        
- Na clínica você encontra profissionais nas áreas de Psicologia, Otorrinolaringologia, Oftalmologia, Clínica Médica, Cardiologia, Psiquiatria e Neurologia que atendem por convênios e particular. Lembrando que os exames exigidos pela ANAC podem ser feitos através de consultas médicas com seus respectivos médicos.  Temos sugestões, caso necessite, de locais para realização da avaliação Odontológica, Laboratório de Analises Clínicas, Teste Ergométrico, Eletroencefalograma e Psicotécnico.

E-mail para contatos: mc62anac@gmail.com qualquer dúvida mande uma mensagem. 
- Depois de concluídas as avaliações e exames solicitados você deverá ligar para a clínica e agendar a sua perícia médica com o Dr. Carlos Antônio Lopes Farinelli, CRM-MG 19.528, médico credenciado pela ANAC. 
- Aprovado na perícia médica e pronto para voar, você deverá entrar no site abaixo e imprimir um extrato do CMA, este extrato será apresentado na escola ou aeroclube.
http://www2.anac.gov.br/consultasdelicencas/consultas2.asp
- Estas informações são para auxiliar o candidato nos passos a seguir e podem ser modificadas a qualquer momento independente de avisos prévios ou compromissos firmados.
Sucesso na aviação!!!



Para  perícia inicial de CMA de segunda classe, piloto privado ou comissário(a), agende seu horário e compareça a clínica portando os seguintes exames, avaliações e documentos:
- HEMOGRAMA COMPLETO (para todos os candidatos)
- GLICEMIA DE JEJUM (para todos os candidatos)
- COLESTEROL TOTAL E FRAÇÕES ( somente para maiores de 35 ANOS)
- TRIGLICÉRIDES (somente para maiores de 35 ANOS)
- CREATININA (para todos os candidatos)
- TIPAGEM SANGUÍNEA (para todos os candidatos)
- ÁCIDO ÚRICO (somente para maiores de 35 ANOS)
- BETA HCG (somente para as CANDIDATAS)
- EXAME DE URINA ROTINA (para todos os candidatos)
- RAIO X PANORÂMICA DOS DENTES (somente para os PILOTOS)
- RAIO X DE TÓRAX PA (COM LAUDO) (para todos os candidatos)
- AUDIOMETRIA (somente para os PILOTOS)
- TESTE ERGOMÉTRICO (para todos os candidatos)
- ELETROENCEFALOGRAMA (para todos os candidatos)
- AVALIAÇÃO ODONTOLÓGICA (somente para os PILOTOS)
- AVALIAÇÃO OFTALMOLÓGICA (para todos os candidatos)
- AVALIAÇÃO PSIQUIATRA (somente para os PILOTOS)
- AVALIAÇÃO OTORRINOLARINGOLÓGICA (somente para os PILOTOS)
- AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA  - TESTE PSICOTÉCNICO (para todos os candidatos)
Documentos necessários: xerox de identidade com CPF e código da ANAC.
Para  perícia de renovação de CMA de segunda classe, piloto privado ou comissário(a), agende seu horário e compareça a clínica portando os seguintes exames, avaliações e documentos:
- HEMOGRAMA COMPLETO (para todos os candidatos)
- GLICEMIA DE JEJUM (para todos os candidatos)
- COLESTEROL TOTAL E FRAÇÕES (somente para maiores de 35 ANOS)
- TRIGLICÉRIDES (somente para maiores de 35 ANOS)
- CREATININA (para todos os candidatos)
- ÁCIDO ÚRICO (somente para maiores de 35 ANOS)
- BETA HCG (somente para as CANDIDATAS)
- EXAME DE URINA ROTINA (para todos os candidatos)
- RAIO X PANORÂMICA DOS DENTES (somente para os PILOTOS)
- AUDIOMETRIA (somente para os PILOTOS)
- TESTE ERGOMÉTRICO (somente para maiores de 30 ANOS)
- AVALIAÇÃO ODONTOLÓGICA (somente para os PILOTOS)
- AVALIAÇÃO OFTALMOLÓGICA (para todos os candidatos)
- AVALIAÇÃO OTORRINOLARINGOLÓGICA (somente para os PILOTOS)
- AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA -TESTE PSICOTÉCNICO (A CADA 5 ANOS)

Documentos necessários: xerox de identidade com CPF e código da ANAC.

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Curriculum vitae.

CURRICULUM VITAE.
(resumido)

- Graduado em medicina pela Faculdade de Medicina de Barbacena - MG em 1986.
- Especialização em Clínica Médica pela Santa Casa de Misericórdia de BH - MG em 1987 e 1988.
- Oficial médico da Força Aérea Brasileira aprovado em concurso público em 1988.
- Especialização em Medicina Aeroespacial pelo Centro de Instrução Especializada da Aeronáutica - CIEAR - Rio de Janeiro em 1989.
- Pós-graduação em Medicina do Trabalho pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais em 1993.
Experiência profissional:
- Chefe dos setores de cardiologia e medicina ocupacional do PAMA-LS.
- Secretário e Membro da Junta de Saúde do Parque de Material Aeronáutico de Lagoa Santa - MG por mais de 15 anos.
- Auditor médico em medicina suplementar.
- Participação em vários cursos e congressos de cardiologia, clínica médica e auditoria médica.
- Médico do trabalho de uma grande empresa do setor metalúrgico.
- Editor do Blog: http://www.coisasdemedicoviajante.blogspot.com/ com temas sobre saúde e cultura, além de outros.

Exame Oftalmológico (modelo oficial)

Para salvar ou imprimir o modelo acima click com o botão direito do mouse.

Exame otorrinolaringológico (modelo oficial).

Para salvar ou imprimir o modelo acima click com o botão direito do mouse.

Exame odontológico (modelo oficial)

Para salvar ou imprimir o modelo acima click com o botão direito do mouse.

Requisitos endocrinológicos para ccf/ cma de 2a classe.

67.125 Requisitos metabólicos, nutricionais e endocrinológicos
(a) O candidato com transtornos do metabolismo, da nutrição ou endócrinos que, a critério do
examinador ou da ANAC, provavelmente afetem a segurança de voo, deve ser julgado não apto. Os
seguintes transtornos, mas não se limitando a eles, são causas de inaptidão:
(1) as dislipidemias severas;
(2) a obesidade com Índice de Massa Corporal (IMC) 40 ou mais;
(3) hiper e hipo função endócrina considerada significativa, a critério do examinador ou da ANAC;
e
(4) alterações fisiopatológicas que, a critério do examinador ou da ANAC, se produzam como efeito
de hormônios de substituição.
(b) O candidato não pode ter antecedentes ou diagnóstico clínico de diabetes melito insulinodependente.
(c) O candidato que sofra de diabetes melito não tratada com insulina pode ser considerado apto, a
critério do examinador ou da ANAC, desde que comprove que seu estado metabólico possa controlar-se
de maneira satisfatória somente com dieta, ou dieta combinada com ingestão por via oral de
medicamentos antidiabéticos, cujo uso seja compatível com o exercício seguro das atribuições do
tripulante em voo.
(d) O candidato não pode ser portador de glicemia inferior a 50mg/dl ou superior a 140mg/dl,
confirmada após duas repetições, em dias diferentes.
(e) O candidato portador de glicemia entre 50 e 69 mg/dl, ou entre 115 e 139 mg/dl, confirmadas após
duas repetições, em dias diferentes, pode ser considerado apto a critério do examinador ou da ANAC.
(f) O candidato em uso de hipoglicemiantes por via oral pode ser julgado apto desde que fique
constatado, após um período de observação de 60 dias, um controle satisfatório da glicemia, que deve ser
superior a 69mg/dl e inferior a 140mg/dl, e que o examinador ou a ANAC, a seu critério, considere que
Data da emissão: 09 de dezembro de 2011 RBAC nº 67
Emenda n° 00
Origem:
SSO
37/49
não seja provável que afete a segurança de voo. Neste caso, a validade máxima a ser concedida para o
CMA revalidado deve ser de 6 meses no caso de pilotos e os não pilotos de acordo com a seção 67.15.
(g) O candidato portador de hipoglicemia reativa ou outra hipoglicemia de difícil controle ou fora de
possibilidade de controle, deve ser julgado não apto.

Requisitos para ccf/ cma de 4a classe.

REQUISITOS PARA OBTENÇÃO DE CMA DE 4ª CLASSE
67.191 Disposições gerais
(a) O candidato será considerado apto a obter ou revalidar um CMA de 4ª classe caso atenda a todos os
requisitos psicofísicos desta subparte.
(b) Não obstante os exames requeridos por esta subparte, outros adicionais poderão ser requeridos a
critério do examinador ou da ANAC, caso estes os considerem necessários para julgar a aptidão
psicofísica do candidato. A necessidade de exames adicionais deverá ser justificada expressamente nos
registros médicos.
(c) Não obstante os requisitos que devem ser atendidos em observância a esta subparte, caso o
examinador ou a ANAC detecte qualquer condição psicofísica não prevista por este Regulamento e que, a
seu critério, afete a segurança de voo, o candidato poderá ser julgado não apto, desde que seja elaborado
um relatório médico adequado justificando a decisão.
(d) O candidato deve dar ciência ao examinador ou à ANAC sobre qualquer problema com sua aptidão
psicofísica que seja de seu conhecimento, uso de medicamentos, ou se já teve ocorrência de negação,
suspensão ou cassação de CMA em outros exames de saúde periciais prévios, seja no Brasil, seja no
estrangeiro.
(e) O examinador ou a ANAC, qual seja o que tenha realizado o exame de saúde pericial no candidato,
emitirá o respectivo CMA de 4ª classe caso esse candidato tenha sido julgado apto (com ou sem restrição)
no respectivo exame de saúde pericial. Caso o candidato tenha sido julgado “apto com restrição”, o
campo de observações do CMA deve conter as condições em que o candidato não pode atuar e/ou as
condições que ele deve satisfazer para poder atuar.
(f) Nos exames de saúde periciais deve ser levada em conta a função que o candidato exerce ou
exercerá, bem como os recursos terapêuticos e o prognóstico da enfermidade porventura existente.
(g) O examinador que julgar um candidato não apto deverá negar-lhe a emissão de um CMA e deverá
informá-lo sobre o seu direito de interpor um recurso junto à ANAC.
(h) Exames e/ou métodos investigativos que existam ou venham a ser criados e que produzam
resultados iguais ou superiores aos que são exigidos por esta subparte podem ser adotados em lugar
destes, a critério dos examinadores, desde que isso não implique aumento ou diminuição de exigências
aos candidatos em desacordo com esta subparte, e que a ANAC seja notificada e aprove essa adoção.
(i) Devem ser solicitados, minimamente, os seguintes exames:
(1) glicemia em jejum e, nos casos limítrofes, hemoglobina glicada;
(2) [Reservado];
(3) triglicerídeos;
(4) creatinina, observando jejum de 12 horas;
(5) hemograma completo;
(6) [Reservado];
(7) dosagem de Beta-HCG para candidatas do sexo feminino; e
(8) tipagem sanguínea e fator RH, nos exames de saúde periciais iniciais.
Data da emissão: 09 de dezembro de 2011 RBAC nº 67
Emenda n° 00
Origem:
SSO
44/49
67.193 [Reservado]
67.195 Requisitos mentais e comportamentais
(a) O candidato não pode sofrer de nenhum transtorno que, a critério do examinador, possa causar não
aptidão repentina.
(b) O candidato não pode possuir diagnósticos clínicos ou histórico médico estabelecido dos seguintes
transtornos que, a critério do examinador ou da ANAC, possam torná-lo não apto para o exercício seguro
das prerrogativas da licença para a qual se aplica ou detém:
(1) transtornos mentais orgânicos;
(2) transtornos mentais e comportamentais devidos ao uso de substâncias psicoativas, o que inclui a
síndrome de dependência induzida pelo álcool ou outras substâncias psicoativas;
(3) esquizofrenia, transtornos esquizotípicos e delirantes;
(4) transtornos de humor (afetivos);
(5) transtornos neuróticos, transtornos relacionados com o estresse e transtornos somatoformes;
(6) síndromes comportamentais associadas com distúrbios fisiológicos e fatores físicos;
(7) transtornos de personalidade e do comportamento em adultos;
(8) retardo mental;
(9) transtornos do desenvolvimento psicológico;
(10) transtornos do comportamento e transtornos emocionais que aparecem habitualmente na
infância ou na adolescência; ou
(11) transtorno mental não especificado nos parágrafos anteriores.
(c) Um candidato com depressão, sendo tratado com medicamentos antidepressivos, deve ser julgado
não apto, a menos que o psiquiatra, com acesso aos detalhes do caso em questão, considere que a
condição do candidato não vai trazer prejuízo para o exercício seguro das prerrogativas da licença e da
habilitação do candidato.
Nota: orientações sobre a avaliação de candidatos tratados com medicação antidepressiva podem ser
encontradas no Manual de Medicina de Aviação Civil da ICAO (
8984
(d) Os transtornos mentais e comportamentais apresentados no parágrafo (b) desta seção devem ser
definidos conforme as descrições clínicas e orientações nosológicas da Organização Mundial de Saúde,
tal como consta na Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde,
Décima Revisão - OMS de 1992, ou mais recente.
(e) Avaliações psicológicas devem subsidiar todos os exames de saúde periciais com atestados
psicológicos, conforme o Manual de Elaboração de Documentos Escritos produzidos pelo psicólogo,
decorrentes de avaliação psicológica (RESOLUÇÃO CFP N.º 007/2003). Tais avaliações devem ser
realizadas por psicólogo e devem ser subsidiadas por dados colhidos e analisados, à luz de um
instrumental técnico (entrevistas, dinâmicas, testes psicológicos, observação, exame psíquico, intervenção
verbal), consubstanciado em referencial técnico-filosófico e científico adotado pelo psicólogo.
Manual of Civil Aviation Medicine Doc).
Data da emissão: 09 de dezembro de 2011 RBAC nº 67
Emenda n° 00
Origem:
SSO
45/49
(f) Os testes psicológicos podem ser aplicados individual ou coletivamente, a critério do psicólogo, e o
laudo deve, no mínimo, conter parecer sobre a personalidade, a atenção, a memória e o raciocínio do
candidato.
(g) Nas entrevistas psicológicas, as seguintes disposições se aplicam:
(1) as entrevistas devem ser suficientemente longas e livres para permitir ao psicólogo a formação
de um juízo sobre a personalidade, aptidões e interesses do candidato, além de sua adequação ou não ao
exercício da atividade que pretende desenvolver;
(2) os psicólogos devem obter uma história pessoal do candidato tão completa quanto possível,
suficiente para lhes fornecer uma ideia de seu comportamento no passado, e especial atenção deve ser
dada à sua história familiar, social e ocupacional; e
(3) os psicólogos devem focar o objetivo final pretendido pelo exame, que é avaliar pessoas com
capacidade atual ou potencial para executar corretamente uma função determinada, integrar-se
satisfatoriamente a um grupo determinado e preservar a segurança e eficiência da operação aérea.
(h) O psicólogo deve ser registrado no Conselho Regional de Psicologia e qualquer teste psicológico
aplicado deve ser aprovado pelo Conselho Federal de Psicologia.
(i) O psiquiatra deve emitir parecer em todos os exames periciais iniciais, pós-acidente, pós-incidente
grave, ou quando solicitado por outro profissional de saúde.
67.197 Requisitos neurológicos
(a) O candidato não pode ter antecedentes comprovados ou diagnóstico clínico de:
(1) hemiplegia, hemiparesia ou paraplegia, a menos que o candidato seja avaliado por um instrutor
de voo e este ateste que aquele possui proficiência suficiente para receber um CMA;
(2) enfermidade progressiva ou não progressiva do sistema nervoso, cujos efeitos, a critério do
examinador ou da ANAC, provavelmente afetem a segurança de voo;
(3) epilepsia;
(4) diminuição total ou parcial do nível de consciência e/ou uma perda da função neurológica, sem
explicação médica satisfatória de sua causa, ou que seja manifestação de comprometimento neurológico
irreversível;
(5) infarto cerebral ou cerebelar;
(6) insuficiência vascular cerebral;
(7) aneurisma;
(8) hemorragia meníngea ou intracerebral;
(9) neoplasia cerebral;
(10) perda transitória de controle do sistema nervoso sem explicação médica satisfatória;
(11) transtornos neurológicos que produzam perda de equilíbrio, sensibilidade, força muscular ou
coordenação neuromuscular; e
(12) qualquer situação que, a critério do examinador ou da ANAC, possam afetar a segurança de
voo.
67.199 Requisitos cardiológicos
Data da emissão: 09 de dezembro de 2011 RBAC nº 67
Emenda n° 00
Origem:
SSO
46/49
(a) Não pode existir qualquer condição cardiológica no candidato que, a critério do examinador ou da
ANAC, afetem a segurança de voo. Nos exames de saúde periciais, o candidato deve ser submetido aos
seguintes procedimentos:
(1) anamnese dirigida;
(2) exame auscultatório;
(3) eletrocardiograma (ECG), nos candidatos com 40 anos ou mais; e
(4) outros exames complementares, a critério do examinador ou da ANAC, caso julgue necessário.
67.201 Requisitos pneumológicos
(a) Um Raio-X de tórax deve ser requerido a cada exame de saúde pericial inicial; nos exames de
saúde periciais de revalidação, a critério do examinador ou da ANAC.
(b) O candidato pode ser considerado apto, a critério do examinador ou da ANAC, caso estes julguem
não existir nenhuma afecção pulmonar que afete a segurança de voo.
67.203 [Reservado]
67.205 Requisitos metabólicos, nutricionais e endocrinológicos
(a) Nos exames de saúde periciais, o candidato não pode ter diagnóstico de:
(1) diabetis melitus descompensada;
(2) hipoglicemia de difícil controle ou sem possibilidade de controle; e
(3) doença metabólica que não esteja compensada.
67.207 Requisitos hematológicos
(a) O candidato pode ser considerado apto, a critério do examinador ou da ANAC, caso estes julguem
não existir nenhuma afecção sanguínea que afete a segurança de voo.
67.209 [Reservado]
67.211 [Reservado]
67.213 Requisitos obstétricos
(a) Candidatas do sexo feminino grávidas devem ser julgadas não-aptas a menos que avaliação
obstétrica e supervisão médica continuada indiquem se tratar de gravidez de baixo risco.
(b) A candidata grávida só poderá ser julgada apta segundo os critérios do parágrafo (a) desta seção
entre a 12ª e a 26ª semana de gestação. Nas demais semanas de gravidez, a candidata grávida deve ser
julgada não apta.
(c) A candidata ou tripulante deve informar ao examinador ou à ANAC da ocorrência de sua gravidez
como requer o parágrafo 67.15(c) deste Regulamento.
Data da emissão: 09 de dezembro de 2011 RBAC nº 67
Emenda n° 00
Origem:
SSO
47/49
(d) Após o período de licença pós-parto ou cessação da gravidez, a candidata poderá ser julgada apta, a
critério do examinador ou da ANAC, após novo exame de saúde pericial de revalidação.
67.215 Requisitos ósteo-articulares
(a) Com exceção do exposto pelo parágrafo (b) desta seção, nos exames de saúde periciais, o candidato
não pode ser portador de:
(1) alterações ósteo-articulares, doença ativa ou sequelas funcionais de doenças congênitas ou
adquiridas ou como resultado de acidentes ou outras ações violentas, que possam afetar a segurança de
voo;
(2) próteses funcionais em substituição a membros ou parte de membros; e
(3) ausência de membro(s) ou parte dele(s).
(b) O examinador ou a ANAC, caso considere factível a concessão do CMA a um candidato
enquadrado nas condições do parágrafo (a) desta seção, poderá encaminhá-lo para avaliação por um
examinador credenciado e, caso este considere que a deficiência não afeta a segurança de voo, o
examinador ou a ANAC poderá julgá-lo apto. Nos futuros exames de saúde periciais de revalidação, caso
a condição se mantenha, não será necessária a avaliação por um examinador credenciado.
67.217 Requisitos otorrinolaringológicos
(a) O candidato não pode apresentar anomalias nem enfermidades de ouvido ou de suas estruturas e
cavidades conexas que, a critério do examinador ou da ANAC, provavelmente afetem a segurança de voo.
(b) O candidato não pode ser portador de transtornos permanentes dos aparelhos vestibulares. O
candidato que possuir um transtorno passageiro deve ser considerado não apto até a condição ser
restabelecida.
67.219 Requisitos oftalmológicos
(a) O candidato não pode apresentar condição patológica aguda ou crônica dos olhos ou anexos que
possa, a critério do examinador ou da ANAC, afetar a segurança de voo.
(b) Com exceção do exposto no parágrafo (c) desta seção, o candidato deve possuir acuidade visual
para longe de 20/40, ou melhor, em cada olho, com ou sem correção.
(c) O candidato, quando portador de visão monocular, pode ser julgado apto caso possua acuidade
visual mínima de 20/30 e desde que seja avaliado por um examinador credenciado quanto à proficiência.
67.221 Requisitos auditivos
(a) O candidato deve ser capaz de ouvir uma voz de intensidade normal (85 a 95 dB), em ambiente
silencioso (aquele em que a intensidade do ruído de fundo não chega a 50 dB, medida na resposta “lenta”
de um medidor de nível sonoro com ponderação “A”), a uma distância de 2 metros, de costas para o
examinador, em pelo menos um dos ouvidos.
(b) O candidato, quando portador de surdez unilateral, pode ser julgado apto desde que o ouvido bom
atenda aos requisitos desta seção.
Data da emissão: 09 de dezembro de 2011 RBAC nº 67
Emenda n° 00
Origem:
SSO
48/49
67.223 [Reservado]
67.225 Requisitos de exames após acidente ou incidente aeronáutico grave
(a) Após acidente ou incidente aeronáutico grave, o candidato deve se submeter a um exame de saúde
pericial inicial.
(b) Nos exames de saúde periciais após acidente ou incidente aeronáutico grave em que tenha havido
colisão ou parada brusca da aeronave, deve ser exigido adicionalmente do candidato os seguintes laudos:
(1) laudo de neurologista avaliando o sistema nervoso central e periférico;
(2) laudo de estudo por imagem da aorta torácica e de órgãos intratorácicos; e
(3) laudo de estudo por imagem da aorta abdominal e de órgãos intra-abdominais.
(c) Cabe ao CENIPA a caracterização de um evento como incidente aeronáutico, incidente aeronáutico
grave ou acidente.